A Primavera na medicina chinesa

Primavera.jpg

Com as mudanças de estação mudam também as nossas características e comportamentos. A Primavera é o despertar depois do Inverno, e tal como as flores que começam a desabrochar com a temperatura amena, também nós estamos com mais energia para viver, conviver e sair de casa.

Segundo a medicina chinesa os órgãos ligados à Primavera são o fígado e a vesícula biliar que influenciam os tendões, os olhos, a circulação da energia pelo corpo e a produção de sangue. Quando existem desequilíbrios há tendência para tendinites, espasmos musculares (torcicolos, lombalgias), dor de cabeça, enxaqueca, conjuntivite, olhos vermelhos, visão turva, dores que se movem pelo corpo, opressão torácica, alterações menstruais, cansaço e falhas de memória.

A emoção ligada à Primavera é a raiva e o som é o grito, o que explica os “maus fígados” de muita gente nesta altura. Quando a energia é excessiva a agressividade, a irritabilidade, o ressentimento e a obstinação vêm ao de cima, ao passo que quando a energia está em deficiência a tendência é para a timidez, a indecisão e a resignação.

O sabor da estação é o ácido e a cor é o verde, o que significa que os alimentos mais adequados para esta fase - em quantidades moderadas - são os citrinos (laranja, limão, lima), tomate, ameixa, morango, framboesa, ananás, truta, vinagre, espinafre, alcachofra, nabiça, brócolos, espargos, alface, aipo, curgete e couve.

Boa Primavera!
 

Filipa Ribeiro